J. Macêdo vai investir R$ 640 milhões em complexo industrial em Londrina

O novo complexo industrial será mais automatizado do que o atual, mas há previsão de geração de 250 empregos diretos após conclusão da primeira etapa da obra. Questionado, Pedrollo não cravou um número exato de vagas que poderão ser abertas com a conclusão de todo o projeto. “Vamos estabelecer uma indústria de altíssima tecnologia, com alto nível de automação. Quando implantarmos a indústria de massas e de bolachas, teremos uma nova onda de contratações. Essas unidades de processamento tem uma relação importante com toda a cadeia de produção, quando pegamos o trigo produzido no campo e vamos transformá-lo em massa, em biscoito e essa geração de valor toda acontecendo em Londrina. Queremos ser referência de exportação de alto valor agregado”, destacou o diretor-presidente.

Mesmo com planos ambiciosos para Londrina, a empresa refez o projeto de engenharia do novo complexo e calculou que não precisaria de toda a área doada pelo município. Por essa razão, a J. Macêdo decidiu devolver uma área de 100 mil metros quadrados ao município. “Os equipamentos se modernizaram muito e a empresa não irá necessitar de toda área. Eles trabalharam junto aos arquitetos e engenheiros e informaram que irão devolver essa área. Virei mais fã da J. Macêdo por causa disso. Temos outras empresas sendo trabalhadas pela Codel (Instituto de Desenvolvimento de Londrina) para serem instaladas ali. Quase anunciamos uma [empresa] hoje, mas bateu na trave”, disse o prefeito Marcelo Belinati.

O projeto de lei que autorizou o município a doar uma área pública de 376 mil metros quadrados para J.Macêdo foi aprovado pela Câmara Municipal em 2019 no terreno avaliado à época em R$ 20 milhões. Agora um novo projeto deverá ser encaminhado ao Legislativo com a devolução da área. Ainda faltariam alguns trâmites burocráticos na Secretaria de Obras para liberação da obra. “A ideia é já enviar à Câmara é enviar um novo projeto de lei com o nome da outra empresa, mas se não for possível, a gente envia o projeto de devolução e depois um novo da empresa que vier a se instalar no local”, completou Belinati.

Presente no evento, o presidente do Fórum Desenvolve Londrina e superintendente do Grupo Folha de Londrina, Nicolás Mejía, destacou que a expansão da J. Macêdo tem impacto em todos os segmentos da economia londrinense com a geração de empregos. “Londrina tem levado à sério esse plano de estudo de crescimento empresarial. Hoje todos juntos podemos comemorar esse investimento da J. Macêdo. A cidade está de braços abertos para a empresa.” Já o presidente da Acil (Associação Comercial e Industrial de Londrina), Angelo Pamplona, colocou a entidade à disposição do grupo para discutir o desenvolvimento econômico da região.

Fundada em 1939, em Fortaleza (CE), pelo empresário José Dias de Macêdo (1919-2018), a J.Macêdo está presente em Londrina desde 1975 com o Moinho Dona Benta, onde atualmente emprega 200 pessoas e produz, por exemplo, farinha de trigo (Dona Benta), farinha de trigo reserva especial e integral (Dona Benta), além de produtos da sua Linha Profissional dedicada ao segmento B2B como farinha de panificação (Dona Benta) e farelo para nutrição animal.

Pesquisar
Veja também:
5 passos para melhorar a integração dos departamentos da empresa
IBGE: rendimentos de mulheres em 2023 é 20% menor que o dos homens
Nova Indústria Brasil é instrumento moderno e vai fomentar neoindustrial...
Oportunidade Única: PepsiCo Busca Talentos em Home Office