Notícias

Como as gerações Z e Y assistem vídeos e o que isso significa para o marketing digital?


Não importa o motivo, todas as gerações consomem vídeos em maior ou menor escala, de maneiras diferentes, seja nas #REDESOCIAIS, ou pontualmente, quando precisam de informações específicas. A questão é que independentemente do motivo pelo qual as pessoas consomem os vídeos, quem produz ou pretende produzir conteúdo audiovisual precisa se adaptar aos diferentes tipos de públicos.

Elevar a diversificação do conteúdo de vídeo, as plataformas e as maneiras como são divulgados nas diversas plataformas significa aumentar exponencialmente o engajamento da audiência.

Para ajudar você a entender como criar e compartilhar vídeos com gerações mais jovens — no caso, a Geração Z e os Millennials — trouxemos dicas baseadas em um estudo publicado pela Rev, empresa americana de transcrição de áudio e prestadora de serviços de grandes companhias como a Amazon.

Cada uma dessas gerações consome mais vídeos que os seus antecessores, sendo a Geração Z, a verdadeira ecordista no quesito. Além disso, seus hábitos de visualização são radicalmente diferentes: usam vídeos em suas mídias sociais, como meios noticiosos e de transmissão de conteúdo.

geracoes

A geração Z, formada por jovens que nasceram a partir dos anos 2000 é, definitivamente, a maior consumidora de vídeos em redes sociais, não à toa o Tik Tok, virou febre nos últimos tempos entre eles.

Mas, analisando as plataformas mais tradicionais, a Rev descobriu que 65% da geração Z usa o Instagram diariamente e 62% usa o YouTube diariamente, sendo que praticamente todos eles acessam as plataformas através de smartphones.

HÁBITOS DE VÍDEOS NAS MÍDIAS SOCIAIS

Essa geração passa a maior parte do tempo (37%) assistindo vídeos no Youtube e na Netflix (35%), sendo que a maior parte dos vídeos que assistem é gerada pelos próprios usuários. Isso porque a Geração Z vê os influenciadores como personagens identificáveis e muito mais acessíveis do que as celebridades, por exemplo. (Já assistiu ao vídeo sobre os hábitos desta geração? Clique aqui)

Os centennials, como também são conhecidos, são um público engajado e receptivo, o que pode levá-los a interagir com as marcas pelo Youtube sem sair da plataforma. A dica de ouro da Rev aqui é utilizar essas características da Geração Z para fazer com que eles se envolvam com os vídeos elevando a receita de anúncios para as marcas.

Ao criar conteúdo de mídia social para esse público é interessante considerar parcerias com influenciadores, microinfluenciadores e vloggers para testar como esse tipo de marketing afeta o público-alvo. Os espectadores terão mais chances de assistir ao conteúdo se sentirem que as marcas entendem seus interesses, desejos e emoções, criando uma conexão com elas.

HÁBITOS DE MÍDIAS SOCIAIS

Quando comparados as outras gerações, os centennials estão menos expostos aos meios de comunicação tradicionais. Preferem receber notícias de sites através de mídias sociais. Curiosamente, a Rev descobriu em seus estudos que a maioria das notícias vistas pela Geração Z está no Instagram via IGTV (Aproveite para acompanhar nossos vídeos no canal).

Apesar de relativamente novo, o recurso de IGTV é uma boa oportunidade para atender a esse público, já que permite produzir, dentro do Instagram, vídeos que rodam de um minuto a uma hora.

HÁBITOS DE TRANSMISSÃO

A Geração Z transmite mais conteúdo do que qualquer outra geração: são nativos digitais e nasceram numa época em que é praticamente inimaginável um mundo sem internet e acesso à informação.

Dos fatos mais interessantes sobre os hábitos de transmissão, pode-se destacar:

1. 73% dos adolescentes assistem vídeo em seus smartphones (e outros dispositivos móveis).

2. 7 em cada 10 adolescentes assistem mais de três horas de vídeo móvel por dia.

3. Apenas 33% dos adolescentes da geração Z assiste TV a cabo.

Por isso, o conselho é criar vídeos com a visualização do smartphone em mente: vídeos curtos e na posição vertical que ajudam a prender a atenção dos espectadores.

DICAS DE MARKETING PARA A GERAÇÃO Z

A chave para alcançar a Geração Z com vídeo é promover conteúdos nos locais em que esse grupo passa mais tempo: nas #MÍDIASOCIAIS. As equipes de produção precisam de fluxos de trabalho velozes para acompanhar as demandas e a concorrência.

Faça parceria com influenciadores que compartilham conteúdo real e honesto. Os centennials são atraídos por vídeos em que o influenciador é semelhante a eles – em idade e interesses – e realiza os mesmos tipos de atividades que eles fazem.

Para encontrar os influenciadores certos, descubra o que é importante para o segmento de Geração Z que você deseja atingir. Você não apenas encontrará influenciadores relevantes mais facilmente, como também terá um conteúdo altamente segmentado.

Ao criar campanhas, considere as plataformas em que os centennials passam mais tempo:

YOUTUBE

INSTAGRAM

TIK TOK

geracoes

A Rev descobriu em seus estudos que a geração do milênio, de 21 a 34 anos, prefere assistir TV online e em serviços de streaming. Eles transmitem mais TV online do que qualquer outra geração – principalmente em serviços de como Netflix, Amazon Prime e HBO GO.

HÁBITOS DE VÍDEOS NAS MÍDIAS SOCIAIS

Assim como a Geração Z, os Millennials passam uma quantidade considerável de tempo assistindo a vídeos na internet e preferem o Instagram e o YouTube. A diferença entre os dois está nos motivos pelos quais acessam as plataformas. Ano passado, por exemplo, 70% dos Millennials assistiram ao YouTube para aprender como fazer algo novo ou aprender mais sobre algum assunto de interesse.

Para a geração do milênio, a mídia social é usada para entretenimento e compartilhamento de informações e atualizações pessoais, 45%  dos entrevistados disseram que um YouTuber os inspirou a fazer uma mudança pessoal em sua vida, sendo que 47% dos jovens da geração Y assistem seus programas de TV favoritos nas mídias sociais.

HÁBITOS DE MÍDIAS SOCIAIS

64% dos millennials assistem notícias online, sendo que 33% deles recebem a maioria das notícias em meios de comunicação social. De forma parecida com a geração Z, a dica é publicar vídeos nas plataformas que essa geração gasta mais tempo — serviços de streaming, Instagram e Youtube. Os anúncios para esse grupo costumam ser mais eficientes quando reproduzidos antes ou após o término do vídeo principal.

HÁBITOS DE TRANSMISSÃO

No geral, a Geração Y passa uma hora e meia por dia assistindo TV online em serviços de streaming, principalmente através das plataformas do Netflix e do Amazon Prime.

Apesar de ainda assistirem à TV tradicional, mas em menor quantidade quando comparado a Geração X e aos Baby boomers, os Millennials têm uma característica interessante: têm menos probabilidade de trocar de canal durante os comerciais do que as outras gerações.

Entretanto, isso não significa receptividade da informação, se os comerciais não forem suficientemente bons para prender sua atenção é provável que se entretenham com os smartphones nesse período, conforme constatou o relatório da Nielsen.

Nesse caso, a dica é considerar criar anúncios em vídeo tanto para mídias sociais quanto para TV, se atentando ao fato de que o produto ou serviço precisa resolver um problema e não ser meramente promocional. O estudo da Rev concluiu que 66% dos Millennials são desativados por vídeos promocionais .

DICAS DE MARKETING PARA OS MILLENNIALS

A Geração Y é a que maior tem poder de compra. Só nos Estados Unidos, gastam cerca de US$ 600 bilhões a cada ano e espera-se que esse número atinja US$ 1,4 trilhão em 2020. Para eles os vídeos desempenham funções importantes nas decisões de compra:

1. 23% da geração Y usa sites de vídeo para pesquisar produtos e serviços;

2. 85% dos millennials compram produtos depois de assistir a vídeos;

3. 70% dos millennials usam vídeos para tomar decisões de compra pós-compra.

Como a geração do milênio gasta tempo pesquisando produtos antes de comprá-los, o segredo é criar anúncios que mostrem produtos em ação. Além de vídeos que incluam demonstrações e depoimentos de produtos de clientes anteriores. Esta geração é receptiva às informações que as ajudam a tomar decisões e apreciam o feedback de pessoas reais.

Fonte: Consumidor Moderno