Notícias

Como as macrotendências em alimentos podem auxiliar a indústria?


A Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI), realizou neste mês um Workshop Técnico e abordou o tema de como as macrotendências em alimentos podem auxiliar nos impactos do atual cenário regulatório.

A palestra foi ministrada por Carla Bartels, da Sprim Brasil, consultoria internacional na área da saúde. Na oportunidade foi apresentado um estudo com o levantamento de informações capazes de produzir alterações substanciais nas escolhas e preferências do consumidor. De acordo com a especialista, em termos de novos hábitos de consumo fatores como sensorialidade e prazer; saudabilidade e bem-estar; conveniência e praticidade e sustentabilidade e ética norteiam a tomada de decisão no momento de compra. “Cerca de 42,4% dos consumidores brasileiros estão mudando seus costumes de modo a reduzir o impacto no meio ambiente e 30% está atento aos ingredientes que compõem os produtos”, explica.

Quando falamos em saudabilidade e praticidade, 80% das pessoas acreditam que comida preparada em casa é mais saudável do que a industrializada. Segundo Carla, é importante desmitificar que nenhum alimento deve ser considerado vilão e promover o consumo consciente/equilibrado. “A indústria já vem trabalhando na reformulação das receitas (redução de sódio, açúcar, gordura e etc) e quando bem comunicadas nos rótulos, conseguem atender esta demanda”, diz.

Além disso, o setor vem adaptando suas embalagens de acordo com o comportamento do mercado. Assim surgiram as monoporções (embalagens menores e individuais), para atender um público que não abre mão de conveniência e praticidade – apelo take and go.

Já as tendências de sensorialidade e prazer, estão relacionadas com o aumento do nível de educação, informação e renda da população, entre outros fatores. “Os consumidores estão valorizando as artes culinárias e as experiências gastronômicas, influenciando tanto o setor de serviços de alimentação como também o desenvolvimento de produtos industrializados”, conclui Carla.

Fonte: Assessoria de imprensa ABIMAPI