Notícias

Parceria entre governo do Estado e Ponte de Negócios beneficia setores que querem comprar e vender


A ferramenta digital Ponte de Negócios, desenvolvida pela Fiesp, foi criada para conectar empresas parceiras da entidade que querem comprar e vender. Com o objetivo de fortalecer ainda mais o relacionamento entre prestadores de serviços, indústrias e criar oportunidades, a Fiesp realizou, na sexta-feira (6/9), workshop sobre a Bolsa Eletrônica de Compras (BEC) voltado à área da Saúde e, na ferramenta, serão publicadas ofertas de transações.

A BEC é um sistema que tem por objetivo a negociação de preço de bens e serviços adquiridos pela Administração Pública Estadual e também pela Municipal, por meio de procedimento eletrônico, para possíveis fornecedores. Por ano, a plataforma movimenta R$ 11 bilhões em negócios.

O workshop esclareceu dúvidas dos possíveis fornecedores que querem ampliar o mercado de atuação, realizando novos negócios com garantia de recebimento.

O diretor adjunto do Departamento de Ação Regional (Depar) da Fiesp, Sylvio de Barros, enfatizou que o Ponte de Negócios surgiu após diretores de uma fábrica de móveis escolares alertarem que uma escola do Sesi de uma determinada cidade comprava móveis em uma outra. “Entre outras funções, o Ponte de Negócios é uma pesquisa de mercado constante para as indústrias que participam. Na plataforma, fica exposto qual valor que as transações foram fechadas”, informou.

Cristiane Estima Medina, gerente do Depar, reforçou que a parceria iniciada com a BEC estimula o Ponte de Negócios, ferramenta que se encontra alinhada com o foco de trabalho da Federação das Indústrias. “De forma clara, a integração do Ponte de Negócios com a BEC promove a divulgação de maior número de processos licitatórios e a ampliação da base de usuários. Quanto mais usuários tiverem movimentando a plataforma, mais interessante também para os parceiros que são compradores”, explicou.

Para acessar as informações da BEC integradas ao Ponte de Negócios, é só realizar gratuitamente o download do aplicativo para ter acesso às possibilidades de transações. Inicialmente, as negociações em parceria com a Fiesp serão na área da Saúde. “Como parte das ações de fomento regional, estamos divulgando a parceria com as Prefeituras a fim de alavancar mais administrações municipais para divulgarem seus produtos na BEC”, completou Medina.

A BEC existe há 18 anos. Atualmente, são mil unidades compradoras no Estado de São Paulo e na capital. Entre os compradores, empresas como Metrô, CPTM e também administrações municipais de todo o Estado. Todos os compradores e fornecedores podem se credenciar sem custo.

Dos 251 mil itens negociados, entre julho do ano passado e julho deste ano, pela BEC, 59.807 foram da área da Saúde, o que corresponde a 24% do total. São mais de 85 mil fornecedores que oferecem mais de 120 mil itens de materiais e serviços.

De acordo com Rita Joyanovic, coordenadora de Compras Eletrônicas da BEC, as compras públicas representam grande oportunidade de negócios, uma vez que os fornecedores têm a garantia de recebimento.

Um outro ponto importante: uma compra pública bem executada se reflete em políticas públicas eficientes. “A gente quer fornecedores competentes que supram o Estado com bons materiais para a Saúde, a Educação, a Segurança, ou seja, para atender à população que, na ponta, somos nós e os nossos familiares”, completou.

Para Paulo Henrique Fracaro – diretor do ComSaude, da Fiesp, e superintendente da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (Abimo) -, a parceria entre a Ponte de Negócios e a BEC já deve começar fomentando um volume alto de negócios, uma vez que o setor da Saúde é composto por mais de 60% de empresas que faturam até R$ 10 milhões de reais por ano.

“As empresas reclamam que têm dificuldade para vender. Às vezes, se acham pequenas, que não terão acesso, que não serão recebidas pelos compradores. Com a BEC, as condições de negócio ficam similares e tudo é feito de forma digital”, afirmou Fracaro.

Sylvio de Barros antecipou que o Ponte de Negócios quer ampliar a participação da BEC na ferramenta digital, possibilitando que outros setores da indústria possam vir a se tornar fornecedores. “Precisamos acelerar esse processo de oportunidades. Às vezes, quem vende tem dificuldade de entender quem quer comprar. A ideia é a comunicação por meio de uma ferramenta simples”, ponderou.

Manoel Canosa Miguez, presidente do Sindicato da Indústria de Móveis de Junco e Vime e Vassouras e de Escovas e Pincéis do Estado de São Paulo (Simvep) chamou a atenção para a relevância da parceria entre a ferramenta Ponte de Negócios, da Fiesp, e o sistema BEC, da Secretaria Estadual da Fazenda. “Precisamos aprender rapidamente a utilizar os dispositivos digitais. Não custa nada e possibilita o acesso às compras sem burocracia. As empresas de pequeno e médio porte vão crescer bastante. Será uma ponte direta para desenvolvermos nossos negócios”, comemorou.

Acesse aqui o Ponte de Negócios!

Confira neste link a apresentação realizada pelo governo do Estado de São Paulo.

Fonte: FIESP