Notícias

Mercados inteligentes: como a tecnologia está mudando o ato de fazer compras


Você entra, pega o que quiser e sai. Simples assim. A compra é debitada automaticamente no seu cartão de crédito. São Paulo acaba de ganhar o primeiro mercado inteligente da cidade e dá mais um passo rumo ao varejo do futuro. Nós fomos conhecer a novidade de perto. E, realmente, toda a operação é bem fácil. Tudo o que você precisa fazer antes de chegar lá é baixar o aplicativo e preencher um cadastro com seus dados pessoais e forma de pagamento.

A loja funciona sem qualquer funcionário. Para entrar, é só apontar a câmera para o QR Code na primeira porta. Na segunda porta de vidro, uma câmera libera a entrada do cliente por reconhecimento facial. Pronto, aí é só escolher os produtos e repetir o mesmo processo para sair…

A “mágica” do mercado inteligente é mais simples do que se imagina. Nas prateleiras, cada produto vem com uma etiqueta como esta com um chip de rádio frequência embutido. Entre as portas da saída, antenas de RFID fazem a leitura dos produtos na cabine em questão de segundos. Os produtos são mostrados na tela para que o cliente confirme e o pagamento é automaticamente debitado no cartão de crédito cadastrado.

Já que não tem ninguém trabalhando, o mercado é repleto de câmeras inteligentes que monitoram em tempo integral todos os movimentos de quem passa por ali. Por enquanto, apenas para coletar dados de comportamento dos usuários e oferecer uma melhor experiência dentro da loja. Mas nada impede que, em um futuro próximo, as etiquetas dêem lugar a uma solução baseada em visão computacional, como já é feito no mais incrível exemplo de futuro do varejo do mundo; o Amazon Go, em Seattle, nos Estados Unidos.

Nós visitamos a loja física da Amazon algum tempo atrás. Lá, tudo o que você precisa para viver essa experiência é baixar o app da Amazon Go no smartphone. Para entrar na loja, similar ao mercado de São Paulo, é só aproximar o celular da catraca para a leitura do QR Code estampado no app. A diferença é que lá, todo o sistema todo funciona através de uma tecnologia que combina visão computacional, algoritmos de aprendizagem de máquina e sensores bastante modernos.

Centenas de câmeras posicionadas no teto da loja monitoram cada passo do usuário e também o que acontece nas prateleiras. Quando o consumidor pega determinado produto, o sistema reconhece o movimento e identifica o cliente na hora. Neste momento, a compra é acrescentada ao carrinho virtual. Se o item for devolvido à prateleira, o débito é cancelado quase que instantaneamente. Tudo muito rápido e sem qualquer intervenção humana. Ao terminar a compra, é só se dirigir à saída e passar por uma outra catraca. A validação é feita automaticamente. Em poucos minutos, o valor é debitado no cartão de crédito registrado na sua conta da Amazon, junto com uma notificação no aplicativo listando as compras feitas. Tudo sem filas ou sequer colocar a mão no bolso.

Se a gente ainda não encontrou nada próximo ao Amazon Go, outra solução interessante que vem ganhando a confiança do consumidor por aqui é o self-checkout; uma facilidade disponível em cada vez mais lojas e supermercados. Nesses caixas independentes de auto-atendimento, o cliente faz tudo sozinho: escaneia os códigos de barras dos produtos e efetua o pagamento usando cartão de crédito ou débito. Os caixas autônomos contam com uma balança inteligente que compara o peso do produto escaneado com os dados do item cadastrados no sistema. Depois de pagar a compra, um QR Code é impresso junto à nota fiscal e serve como chave para a abertura automática da catraca.

Estas soluções indicam as principais tendências do varejo mundo afora. Eficiência e conveniência viabilizadas pela tecnologia. Estas são as apostas para o mercado inteligente do futuro.

Fonte: Mais FM