Nossos Releases

ABIMAPI registra crescimento de 11,5% do setor em 2014

São Paulo, 27 de março de 2015 - A Associação Brasileira das Indústrias Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos industrializados (ABIMAPI), em parceria com a consultoria Nielsen, divulga hoje os dados referentes ao crescimento do setor em 2014. Juntas, as três categorias representadas pela entidade movimentaram um total de R$ 32,2 bilhões, crescimento de 11,5% em relação a 2013. Em volume o setor se manteve estável, com cerca de 3,3 milhões de toneladas vendidas, assim como no consumo per capita, na casa dos 17kg/ano.

Biscoitos

O faturamento das indústrias de biscoitos cresceu 10,56%, atingindo a marca dos R$19,671 bilhões em 2014. Assim como o setor num todo, esta categoria mostrou estabilidade em relação ao volume – mantendo-se em 1,7 milhão de tonelada – e ao consumo per capita, com 8,4kg/ano. “Os dados refletem o comportamento do consumidor que diminuiu sua frequência de compras, mas incluiu na cesta de alimentos produtos com alto valor agregado, como por exemplo os cookies e os doces especiais”, explica Claudio Zanão, presidente executivo da ABIMAPI. Esses dois tipos de biscoitos, inclusive, são os principais impulsionadores para o crescimento da categoria e registraram aumento de 23% e de 3,5% em volume de vendas, respectivamente.

Em comparação aos últimos três anos a categoria dos biscoitos avançou 24,6%, segundo a pesquisa. Neste período, os cookies foram os que mais cresceram (104,8%), seguidos dos doces especiais (40,2%) e das rosquinhas (32,4%).

Massas alimentícias

O mercado de massas alimentícias movimentou R$ 8 bilhões, registrando um aumento de 10,35% frente ao faturamento de 2013. Diferentemente dos dois últimos anos, quando a massas frescas apresentaram maior crescimento, desta vez a alta foi alavancada principalmente pelos segmentos das instantâneas (12,3%) e das secas (9,6%), com faturamentos de R$ 2,531 bilhões e R$ 4,854 bilhões, cada um.

O crescimento no faturamento reflete a aceleração da alta de custos, principalmente do trigo, no setor de massas alimentícias. “Diversidades climáticas tiveram impacto significativo sobre a indústria de alimentos no mundo. As commodities ficaram mais caras e os fabricantes tiveram que repassar ao preço final os aumentos das matérias-caras. No entanto, no caso do macarrão o impacto no consumo foi baixo uma vez que se trata de um produto muito barato”, diz Zanão

Assim como nos últimos anos, o Brasil permanece como terceiro consumidor mundial de massas, com 1,275 milhão de toneladas, atrás dos Estados Unidos e da Itália, primeira no ranking. O consumo per capta em 2014 manteve-se em 6kg/ano.

Ainda segundo a pesquisa ABIMAPI/ Nielsen, a comparação dos dados de 2012 com os atuais mostra que as massas em sua totalidade cresceram 24% em faturamento. Neste período, as secas apontaram maior crescimento (25%), seguidas pelas instantâneas, com 33%.

Pães e bolos industrializados

O cenário da categoria de pães e bolos industrializados também foi positivo em 2014. Os chamados “pães de forma” expandiram em 19% o faturamento em relação a 2013, atingindo R$ 3,8 bilhões. Em volume, o aumento foi de 7,6% alcançando a marca de 358,3 mil toneladas; o consumo per capita registrado chegou aos 2,3kg/ano. As comparações destes mesmos dados com os referentes a 2012, mostram a crescimento de 9,5% nas vendas e 32% no faturamento. 

Em relação aos bolos industrializados, o segmento evoluiu 14% no faturamento no ano passado em relação ao anterior, totalizando R$ 685 milhões. O valor é 32% superior ao registrado há três anos. Em volume, o total de vendas em 2014 atingiu 31,3 mil toneladas, ou seja, aumento de 8% em relação a 2013. Nos últimos três anos, o volume total de vendas do produto expandiu cerca de 13,6%.

“Esta última categoria ainda representa um mercado pequeno e tem muito espaço para crescer. Enquanto os biscoitos e as massas alimentícias têm penetração de 99,6% nos lares brasileiros, os pães e bolos industrializados apresentam 76,2% e 50,7%, respectivamente”, conclui Zanão.

 

ABIMAPI - MERCADO NACIONAL

Período

2012

2013

2014

Faturamento (bilhões R$)

25,55

28,88

32,2

Volume (milhões tons)

3,27

3,331

3,368

Per Capita (kg/ano)

16,95

17,11

17,19

 

BISCOITOS

 

Período

2012

2013

2014

 

Faturamento (bilhões R$)

15,78

17,79

19,67

 

Volume (milhões tons)

1,676

1,706

1,704

 

Per Capita (kg/ano)

8,18

8,41

8,40

 

 

 

 

MASSAS ALIMENTÍCIAS

Faturamento (bilhões R$)

2012

2013

2014

Secas

3,887

4,430

4,854

Instantâneas

2,059

2,253

2,531

Frescas

0,553

0,609

0,662

TOTAL

6,499

7,292

8,047

   

Volume (milhões tons)

2012

2013

2014

Secas

0,990

1,014

1,017

Instantâneas

0,198

0,198

0,206

Frescas

0,051

0,052

0,051

TOTAL

1,239

1,264

1,275

Per Capita (kg/ano)

6,22

6,29

6,29

             

 

Pães Industrializados

Período

2012

2013

2014

Faturamento (bilhões R$)

2,750

3,194

3,800

Volume (mil tons)

 327,064

 332,761

 358,296

Per Capita (kg/ano)

2,13

2,15

2,30

       

Bolos Industrializados

Período

2012

2013

2014

Faturamento (bilhões R$)

0,517

0,6

0,685

Volume (mil tons)

27,585

28,977

31,336

Per Capita (kg/ano)

0,18

0,19

0,20

Fonte: ABIMAPI & NIELSEN

   

 

_______________________________

Informações para a imprensa:

TREE COMUNICAÇÃO

(11) 3093-3600

Kelly Viana

kelly.viana@tree.inf.br

Inês Castelo

inês@tree.inf.br