Notícias

ABIMAPI Apoia Exportações

A marca de US$ 58 milhões em exportações de massas, biscoitos, pães e bolos industrializados, em 2016, deve ser superada e atingir US$ 62 milhões este ano. É o que afirma Claudio Zanão, presidente executivo da ABIMAPI, entidade que representa esses setores. Em entrevista exclusiva ao Portal Giro News, Zanão explica que as empresas associadas, representam 56% das exportações dessas três categorias. De olho na retomada de exportações para a Argentina, e na consolidação de negócios com os Estados Unidos, as empresas de massas, pães e biscoitos, tem a China como um alvo a ser conquistado para parceira comercial."No ano passado, os EUA foi o nosso grande mercado consumidor. A gente está de olho novamente na Argentina, que tem um novo governo e nova linha de trabalho. Esperamos uma definição do México, também, que poderá enfrentar alguns entraves em seus negócios com os Estados Unidos", afirma Zanão.

Mercado Interno e Externo
Outro objetivo é renovar a parceria com a APEX-Brasil - Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, que já existe há 15 anos e promove 40 empresas que representam cerca de 70% das exportações nacionais destinadas a mais de 80 países nos cinco continentes. "Estamos na feira em Colônia, na Alemanha, com 10 empresas, prospectando novas oportunidades. Esperamos fazer negócios na base de US$ 5 milhões e prospectar coisas para o futuro também, mas o projeto com a APEX se encerra. Então, a primeira missão é assinarmos um novo convênio para 2017 e 2018. Acho que conseguiremos por causa dos nossos resultados. O fato de termos superado as metas, nosso setor ,vai muito bem, obrigado' na exportação e talvez a gente consiga até mais verbas da APEX, para participar ainda mais do mercado externo", explica Zanão.

Capacitação e Expectativas
"Nós temos convencido nossos associados a participarem de um curso de Comércio Exterior da ESPM - Escola Superior de Propaganda Marketing, para terem mais profissionalismo nas ações", informa o presidente da ABIMAPI, esclarecendo que a parceria com a ESPM, tem rendido bons frutos. Em relação às perspectivas para este ano, Zanão vislumbra crescimento: "O volume de negócios para este ano vai depender da superação da crise. A gente espera buscar um crescimento maior. Se nosso país melhorar a situação até o segundo semestre, conseguiremos buscar um crescimento em torno de 5% a 10%. Isso porque o Brasil está  brigando com macarrão italiano e biscoito inglês, por exemplo. A briga é boa e nós estamos dentro dela", finaliza.

Fonte: Giro News